Para muitos atuantes na agricultura, manter o controle completo do que está acontecendo no campo é um grande desafio. Esse é o caso de compradores agrícolas, agências governamentais e ONGs, seguradoras agrícolas e credores – especialmente aqueles que trabalham com muitos produtores em uma grande área. O método tradicional para lidar com esse desafio envolve enviar pessoas para visitar o campo, monitorar o progresso e apresentar relatórios. Embora ainda necessária, essa abordagem é cara e demorada e, na era do COVID-19, muitas vezes não é viável.

Felizmente, a bem-vinda disrupção das tecnologias agrícolas (ou AgTech, como muitos gostam de chamá-las) inclui soluções de sensoriamento remoto que usam dados de satélite para monitorar o progresso por uma fração do custo. Vários avanços foram feitos especialmente para as culturas agrícolas. As informações coletadas são utilizadas para identificação do tipo de cultura, data de plantio e rastreamento do progresso, medição do tamanho do campo, avaliação da saúde da cultura, comparação do desempenho dos produtores e talhões e muito mais. Complementa outras fontes de dados já utilizadas nas operações existentes para muitos produtores e, em alguns casos recentemente, a única fonte de dados disponível.

A transição para o sensoriamento remoto avançado foi possível graças a vários fatores, mas de maneira geral:

  1.  Dados de alta resolução tornaram-se disponíveis por um custo relativamente baixo (às vezes sem nenhum custo, como no caso de satélites públicos);
  2. A maior disponibilidade de dados de campo devido à tendência de digitalização no setor agrícola, que pode ser usado para melhorar a previsão a partir de modelos baseados em sensoriamento remoto; e
  3. O uso crescente da ciência de dados em uma ampla variedade de setores, o que melhorou ainda mais os recursos de modelagem.

Na Agritask, somos qualificados de maneira única para fornecer soluções de sensoriamento remoto, dada a riqueza de dados do campo à nossa disposição e nosso profundo conhecimento da agronomia para as várias culturas e regiões em que operamos. Mais importante, fornecemos uma plataforma de operações que traduz as percepções em visões práticas. 

O sensoriamento remoto fornece informações sobre todo o ciclo da cultura

Mencionamos abaixo alguns de nossos recursos de sensoriamento remoto que receberam uma série de consultas recentemente.

  1.  Análise de plantio. Com apenas um ponto GPS, agora é possível saber os tipos de cultura, os limites dos lotes, o tamanho das áreas cultivadas e as datas estimadas de plantio. Isso ajuda a estabelecer, por exemplo, se as safras relatadas foram plantadas e se isso foi feito dentro da janela de plantio acordada.
  2. Saúde da cultura. Para culturas de campo, o índice mais comumente usado para monitoramento de culturas é o Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI), sensível à atividade de biomassa e clorofila. Outro índice comum é o Índice de Água por Diferença Normalizada (NDWI), estimando o conteúdo de água da folha no nível do dossel. Essas informações são comumente usadas para rastrear o estado de saúde da cultura e os níveis de estresse hídrico durante a safra.  
  3. Classificação de risco operacional e ambiental. Temos uma metodologia de classificação de risco proprietária que permite aos produtores e partes interessadas avaliar os fatores de risco que podem afetar a produtividade de cada talhão, o que pode incluir a qualidade operacional ou questões ambientais, como fertilidade do solo, clima e outros.
  4. Capacidade de indicação de rendimento e benchmarking. Nossas soluções atribuem um Índice de Potencial de Rendimento proprietário para cada parcela, permitindo aos usuários comparar diferentes parcelas em uma escala regional, bem como ter indicações de potencial de rendimento no final da safra. Os produtores podem otimizar o crescimento e detectar problemas que afetam parcelas específicas, enquanto os agregados podem diferenciar áreas fortes e fracas e focar sua atenção de acordo.

O sensoriamento remoto oferece benefícios únicos para cada um das vários atuantes na área agrícola

  • Produtores corporativos: tendo que gerenciar grandes áreas e, muitas vezes, em vários locais, os produtores corporativos buscam informações para otimizar suas operações. Mesmo que eles já monitorem o campo usando sua força de trabalho e outras tecnologias, um ponto de referência adicional é freqüentemente bem-vindo, especialmente aquele que não está sujeito a erros humanos e economicamente efetivo.
  • Compradores agrícolas: a capacidade de estimar a quantidade e o momento da colheita significa muito para os compradores, que podem planejar melhor o futuro com base na produção prevista. Além disso, os compradores podem colaborar melhor com os produtores, usando informações atualizadas que antes exigiam visitas frequentes ao campo.
  • Empresas de insumos agrícolas: as empresas que trabalham em estreita colaboração com os produtores para fornecer sementes, fertilizantes e produtos químicos obtêm uma compreensão mais profunda de seus produtores e melhoram suas interações. Além disso, eles também podem identificar novas oportunidades de negócios com clientes existentes ou potenciais com base em dados de sensoriamento remoto.
  • Agências governamentais e ONGs: O sensoriamento remoto baseado em satélite é altamente escalável para cobrir uma área muito grande – até mesmo um país inteiro. Os dados de sensoriamento remoto fornecem uma visão geral sobre tendências ou padrões que permitem que governos e ONGs aloquem seu apoio de forma mais adequada, bem como maiores percepções sobre partes específicas da área em que operam.
  • Seguradoras e credores agrícolas: Os dados de sensoriamento remoto podem ser úteis ao longo do ciclo de vida do produto, desde a conformidade até a subscrição e o monitoramento contínuo. As seguradoras e credores podem verificar se os produtores realmente cultivam as lavouras relatadas nos talhões e nas janelas de tempo especificadas. A capacidade de ter indicações de potencial de rendimento e benchmarks de diferentes talhões na mesma região melhorará a avaliação de risco, o preço e muito mais. 

 

Uma nota sobre imagens de alta resolução

A tecnologia de observação de satélite como o Sentinel-2 cobre muitos casos  – mas ainda não é perfeita. Diferentes condições naturais, como nuvens, podem afetar negativamente a visibilidade e a resolução pode ser insuficiente para capturar certos detalhes, como a diferenciação entre culturas e erva daninha ou contagem de população.

Imagens de alta resolução podem reduzir significativamente esses problemas, fornecendo uma alternativa sólida em tais casos e agora estão mais disponíveis e econômicas do que nunca. É oferecido por satélites de órbita baixa, aviões, VANTs e muito mais.

Conectando o céu ao solo

Na Agritask, acreditamos em reunir todos os dados relevantes para uma tomada de decisão holística e melhor. Não sugerimos que o sensoriamento remoto pode eliminar a necessidade de outras fontes de dados do solo – podem ser de reconhecimento de campo, sensores ou outros. Muito pelo contrário, combiná-lo criará insights maiores e práticos.

Os dados no solo ainda são necessários para validar e calibrar os modelos baseados em sensoriamento remoto, especialmente para novas culturas e geografias. Além disso, para apontar problemas específicos, algum nível de operações terrestres também é necessário. Por exemplo, os dados de satélite podem indicar quais áreas do campo sofrem alto risco de produção, então os produtores podem planejar planos de ação específicos para identificar problemas, como pragas e doenças ou outros;

Mais importante, depois de descobrir que existem certos problemas que afetam o campo, você ainda precisa planejar e executar as soluções. Isso requer uma plataforma abrangente, como Agritask, que permite o planejamento, atribuição de tarefas e acompanhamento usando a visualização intuitiva de todos os dados relevantes.

Muito parecido com os diferentes procedimentos na natureza, é necessário todo um ecossistema de participantes e soluções para gerar crescimento. Com especialistas internos dedicados em agronomia, GIS e sensoriamento remoto, Agritask captura e analisa dados e os transforma em percepções práticas. Nosso mantra continua sendo “uma plataforma, um banco de dados”, permitindo que os agricultores e outros participantes do setor gerenciem todos os seus dados em um local confiável. Ao conectar todos os pontos e analisar várias fontes de informação, podemos oferecer ao setor agrícola novas ferramentas e métodos que o ajudarão a florescer com força total.